A origem do Loft

A origem do Loft começa com a sua própria definição: refere-se a calha, mezanino, mansarda, sótão ou espaço semelhante (geralmente usado para armazenagem) sem repartições, situado logo abaixo do teto de uma casa, fábrica, celeiro, galpão ou armazém. Seu uso na arquitetura, pode ser encontrado desde o século XIII, na expressão hayloft, que é um depósito de feno situado em mezanino de celeiros, sendo também usado como alojamento de empregados da fazenda.

O Conceito de loft urbano foi consagrado mundialmente, com os grandes espaços industriais de Nova Iorque, convertidos para uso residencial mostrados em filmes de Hollywood, tais como, Flashdance e Ghost. Tamanha foi a repercussão desta época, que hoje, muitos dos apreciadores do Loft Living (vida em lofts), atribuem seu local de nascimento a NY, ignorando suas origens rurais e que sua primeira versão urbana, aconteceu na França, no década de 50, com os apartamentos da Cité Radieuse, do arquiteto urbanista Le Corbusier.

No período, do final da década de 60 e início da década de 70, eram considerados lofts, somente os grandes espaços convertidos, situados nos andares superiores de industriais e galpões. Guardadas as devidas proporções, os lofts representavam um espaço residencial diferenciado, que só encontrava paralelo, nos sofisticados apartamentos de cobertura (penthouse apartment).

Com a exposição em filmes, como espaço sofisticado mas despojado, rapidamente, o mercado imobiliário, passou a oferecer Soft Lofts e Loft Apartments, um tipo de residência menor, mas com quarto situado em mezanino, pé direito elevado (geralmente duplo), plano aberto, planta livre, sala e cozinha integrados, e na maioria dos casos, grandes áreas envidraçadas.

O conceito de loft continua evoluindo, incorporando novos elementos tais como, eficiência energética, sustentabilidade, design universal e acessibilidade. Tal é a quantidade e diversidade de adjetivos que estão sendo adicionados, que é provável que ainda demore para que loft deixe de ser sinônimo de inovação. (texto retirado do wikipedia)

loft_industrial_galatea_1

Todos os espaços de um loft são integrados, menos o quarto e banheiro que normalmente estão no andar de cima, ou contam com paredes para dar privacidade.

 

loft_industrial_galatea_2

Neste Loft indústrial foram deixadas algumas características originais do imóvel, como as tubulações de ar e vigas. Como o loft todo é predominantemente claro, tanto as paredes como os móveis, as tubulações quase não aparecem, e dão um ar sofisticado.

 

loft_industrial_galatea_3

Com alguns móveis de design conhecidos como essas Poltronas Diz do Sergio Rodrigues, o loft ganha um toque de modernidade e classe.

 

loft_industrial_galatea_4

 

 

 

loft_industrial_galatea_5

Vista do andar superior, onde fica mais uma sala de estar com lareira, a sala de jogos e o quarto. As janelas no teto ajudam a deixar o loft mais claro e iluminado, e os quadros grandes nas paredes acabam com a monotonia de paredes tão altas e brancas.



Um comentário